quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Casos ainda não solucionados - Loja das encrencas. - T03 - 06

Marlon: Nelly! A prancheta tá aqui no balcão!
Nelly: Pega ela! É uma prova, nós deixamos passar, antes!
Patrick: Não foi nada profissional, bop.

Ollie: Que conversadeira é essa na minha loja?


O trio se separava e procurava por pistas, na tal loja. Afinal, até agora não tinham achado ninguém.

Ollie saia da parte que estava "escondida", onde ela mantinha os carros para contrabando.
Ollie: Eu sabia, só podem detetives encheridos.

Nelly: Tem bastante fruta pobre e coisa vencidas, aqui..

Ollie chegava perto de Marlon, e ia sem falar nada, e ele também, cruzava os braços e a ficava observando se aproximar.

Ollie o empurrava.
Ollie, com um tom bravo e autoritário: O que está fazendo aqui na minha lojinha, em? Dei permissão para entrar?
Marlon: Vai com calma ai, senhora. Sou um detetive, eu tenho mandado e por meio de informações, viemos parar na sua loja!

Ollie: E que merda você vai ganhar, vindo aqui, em garoto?
Marlon: Com sua falta de educação, eu ganho em um processo. Se quer saber.
Ollie: É? E o que eu tenho a ver na sua busca, moleque?
Marlon: Muita coisa. Só que você tem que ser menos sem educação, para irmos as perguntas.

 Nelly ouvia os barulhos de discussão, e via a senhora discutindo com Marlon, e começando a ficar brava, foi correndo lá.

Nelly: Olha aqui, senhora! Vamos parar com falta de respeito, ainda mais com meu Marlon! - E corria lá.
Ollie: Ah, que bonitinho, a princesinha está vindo. - Provocava.

Nelly: Para sua informação, a princesinha pode te colocar na cadeia.
E Patrick já se aproximava mais, para gravar melhor.
Marlon: Senhora, não mexa com minha esposa, você não tem educação mesmo, em? - Dizia sério, e tentando manter a paciência e a seriedade.
Ollie: Que lindinho o SEU Marlon, defendendo também. Podem até tentar me colocar na cadeia, mas não irão conseguir. 
Nelly: Senhora, você pode ir na cadeia por vários motivos, e uns deles é estar envolvida em queimar algumas lojas.
Ollie: Você está falando as do Figueira? Aquela loja é uma perda de tempo! 
Marlon: Sua inveja é uma perda de tempo. - Disse bravo - Você precisa nos dizer tudo o que você fez!

Ollie: Como eu disse, eu não direi nada! E não é um trio de detetives fajutos que fará me dizer! - Após dizer isso, ela pulava um de seus balcões de frios.
No momento, eles ficaram sem reação.

Mas logo depois, começaram a correr atrás dela.

Ollie: Hasta la vista. Babacas!
Marlon: Você não vai embora daqui até nos responder algumas perguntas!
Ollie: Não respondo ninguém!
Patrick: Mas você vai! Bip.

Marlon: Não me faça perder a paciência e o respeito!
Nelly: Senhora, não complica.
Ollie: Não direi nada!

Nelly: Por que a senhora não quer responder?!
Ollie: Eu já disse, não tenho nada a ver!
Nelly: Se não tivesse, iria pelo menos responder alguma coisa!
Patrick: Bop. A senhora está muito infantil! Bip.

Ollie: O que o robôzinho idiota disse?!
Patrick: Que você tá infantil. Bop.
Marlon ficava um pouco próximo de Nelly, com medo do que aquela mulher seria capaz de fazer algo com ela ou talvez, sua filha.

Então Ollie começou a brigar com Patrick. Logo fazendo o mesmo dizer sem parar, como um alarme: "DEFENDER, DEFENDER, DEFENDER."
Nelly: Patrick, te dou a permissão de mobiliza-la.

Patrick então, fazia o que Nelly tinha pedido, e então eles a prenderam.

E chamaram a polícia. O que ela não confessou para eles, teve que dizer tudo a polícia. Foi descoberto que ela fazia contrabando de drogas, carros militares e revendia mercadorias velhas de outros estabelecimentos, ela já tinha duas passagens na cadeia, uma por roubo e outra por assassinato, mas nenhuma por ter posto fogo na loja da mãe de Marlon.

Ela ficou numa prisão temporária junto com a filha, até que os detetives tivessem mais provas e trouxessem o outro que faltava.

Na casa. 
Thomas chegava em casa, e já estranhava que não tinha nenhum barulho.

Thomas: Mãe? Pai? Vovó? Vovô? Tio? Cadê vocês?! - E começava a ficar desesperado.

Ele começou a andar pela casa, procurando algum recado que tivessem deixado, caso saíssem e coisas desse gênero, até que ele achou uma nota escrita em cima da mesa.

"Deve ser os vovôs que deixaram"- Pensou, e foi ler a nota, nela estava escrito:
"Eu estou com toda a sua família, seus detetives de bosta. 
Espero que venham antes de todos eles estarem tostadinhos, assim como ficou a loja antiga desses velhos babões. 
Um abraço bem falso do assassino." 
Thomas: Oh meu deus!!! Pegaram minha família! - Disse desesperado e cheio de lágrimas nos olhos. 

 Thomas sentou no sofá e começou à chorar sem parar. Estava triste, desesperado e se sentia sem rumo, sem ninguém. 

 CONTINUA.



8 comentários:

  1. Tadinho de Thomas. Tudo vai se resolver, Thomas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thomas tá passando apertado ): coitadinho

      Excluir
  2. Coitado do Thomas, geeeeeeeeente!!! O.o Espero que Nelly, Marlon e Patrick cheguem logo para resolver isso! O.o

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também! Se não, o que será do coitado? D:

      Excluir
  3. Gente, tadinho do Thomas!!! =O
    Correndo ler o próximo capítulo. Este teve muita ação, ficou show de bola!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! ❤ E vc viu, coitadinho dele ;-;

      Excluir