domingo, 23 de abril de 2017

Mariana, a Roadie.



Atenção!
O capítulo é para maiores de 16 anos, pois contém palavras de baixo calão e violência. Se você não se sente confortável com este tipo de assunto, recomendo não ler. 
______________________________________________________________

Esta é Mariana Fernandez. Prima de Nelly, filha de Cecília e neta de Junne. Quis seguir algo parecido com a carreira de sua avó, então se tornou roadie, sua paixão é ajudar a banda! 

E essa é a banda que ela “toma conta”. Os Folkers! Uma banda de folk formada na faculdade. São 5 integrantes e todos eles dão seu melhor pela banda. 

Este é Hector, o baixista da banda.

Esta é Natasha, a baterista. 

Claudete, a violinista! 

E por fim, Chet, o guitarrista! 

É claro, que desde jovem Mariana não perdia uma. Tinha seus casos com Hector.

Mas seu preferido era com Chet. Eles sempre se envolviam mais. 

Até que em um desses hotéis, o casual dos dois era mais frequente, e nessas semanas lá, Mariana acabou ficando grávida de Chet. 
Mariana: Garotas, estou tão ansiosa para contar ao Chet que teremos um bebê! – Dizia empolgada.
Natasha: Eu também! Ele é tão doce! Certeza que vai amar!
Claudete: Olha, melhor vocês duas não colocarem tanta expectativa para não quebrarem a cara. – Dizia racionalmente. – Eu conheço o Chet a mais tempo e ele é bem imprevisível.
Mariana: Mas tenho certeza que ele vai amar!

Mariana: Meninas, voltarei com novidades, boa noite!
Natasha: Vai lá garota, arrasa!
Claudete: Se cuida, Mari. – Dizia preocupada, tinha um certo medo de Chet, apesar de nunca ter contato aos outros. 

Mariana: Chet, tenho novidades! – Dizia esperançosa.
Chet: Deixa eu levantar aqui para você me contar. – E dizia se levantando da cama e indo em direção a mesma. 

Chet: Me conta ai a novidade, conseguimos show novo? você falou com nosso empresário ou ele ligou te avisando?! – Dizia empolgado.
Mariana: Não, querido. Eu estou grávida, você é o pai! 

Chet: O que?! – Seu tom de voz se alterava um pouco, ficando mais bravo. – Repete, sua vagabunda.
Mariana: Mas... Mas... – E engolia o choro, que começava a surgir. – Chet... 

Fervendo de raiva, ele se aproximava de Mariana e seu olhar era de ódio mortal. Mariana fechava os olhos, na tentativa de esconder suas lágrimas.
Mariana: Chet, querido, nós seremos pais!
Chet: Olha, não me venha com gracinha, piranha.
Mariana: Chet, não é gracinha! 

Ao se aproximar o suficiente de Mariana, ele a estapeou, enquanto a xingava de tudo que fosse possível.
Chet: Só porque eu sou bem de vida e ganho bem com a banda você me vem com essas idéias, tenho certeza que essa criança é do Hector, você não me engana, sua piranha oportunista, não quero meu nome relacionado a uma roadie vagabunda que é mais rodada que catraca de ônibus! 

E num reflexo de defesa, Mariana o empurrou, com toda a força que tinha.
Mariana, chorando: Antes fosse do Hector do que você! Retardado! – Gritou. – Jamais iria querer meu nome relacionado com você! Me faça favor! – Gritava mais ainda. -  Se não fosse por mim, queria ver onde você iria dormir essa semana, seu cachorro imundo! E só para constar, minha vida sexual não tem nada a ver com isso! 

Perdendo o equilíbrio, Chet caiu de bunda no chão e ficou mais bravo do que já estava.
Chet: Olha aqui, quando eu levantar, é melhor você correr, sua piranha!
Mariana: Para de ser covarde, Chet! Bate em alguém do seu tamanho! – Continuava gritando enquanto chorava, estava desesperada.

Claudete: Eu sabia, Natasha! Ele ficou maluco, vou lá ver como Mari está! – Dizia enquanto ouvia o berreiro do quarto que era próximo ao deles.
Natasha apenas concordava com a cabeça, estava se sentido culpada por ter posto esperanças em sua colega de trabalho. 

Claudete entrava fervendo de raiva e temendo a segurança de sua amiga.
Então, o empurrava, após presenciar aquela cena, na qual não a agradou nem um pouco e olhava Chet nos olhos, estava com uma expressão de raiva, e tudo que ela passava para ele era sua vontade de esgana-lo, lá mesmo.
Claudete: Ai, Chet, vai tomar no seu cu, filho de uma mãe! Não respeita nem mulher grávida! Foi essa a educação que você recebeu?! Tá precisando voltar para o útero!
Chet apenas ficava boquiaberto, não estava acreditando que aquilo estava acontecendo. 

 
Claudete: Vem, briga comigo agora! Seu covarde de merda! – E o enfrentava. – Ficou mudo agora?! Vamos! Quem era o fodão? Foi dar um passeio na casa do caralho?!
Chet apenas engoliu saliva, totalmente sem a moral que estava com Mariana e saiu que nem um jato pela porta. E essa foi a última vez que o viram. 


E as duas, é claro que correram atrás dele enquanto ele fugia.
Claudete: Volta aqui para você ver onde essa sua moralzinha de merda vai parar!
E Mariana gritava: Vai se foder! Espero que você nunca mais apareça! Seu covarde, idiota! Desgraçado! 

Após ele sumir da vista de ambas, Natasha tentou acalma-la.
Claudete: Mari, fica fria. Eu tô aqui, aquele filho da puta não vai mais voltar, você e seu bebê estão seguros...
Mariana: Não sei se quero esse bebê, Dete... – Dizia em meio aos soluços.
Claudete: Respira, querida. Vamos, entra e toma uma aguinha, isso foi coisa demais para você. 

Elas entravam e Mariana tomava vários copos d’agua, aquilo ainda a assustava.
Claudete: Se você quiser, eu durmo com você hoje, Mari. Foi uma noite difícil.
Mariana: Se foi, Dete. Mas ainda tenho minhas duvidas...
Claudete: Se ele voltar, entraremos com processo contra ele, querida. – Tentava acalma-la, a todo o custo. 

Depois, Mariana a abraçou apertado e seria difícil solta-la, estava amedrontada e só queria um pouco de calma.
Claudete: Shhh... Tá tudo bem... – Dizia bem baixinho.

É claro, ambas tinham uma quedinha pela outra, e o ocorrido só as aproximou mais e então começaram a se relacionar, 2 meses depois. A relação não durou muito, por Mariana ser evasiva, mas elas ainda mantém o contato e ainda se gostam muito, no fim das contas.

Não podemos esquecer que Mariana teve o apoio de todos da banda, tanto contra Chet, quanto a gravidez inesperada dela. Mas mesmo com tudo isso, ela pediu um tempo, queria sua família por perto e sua prima Nelly que a entendia melhor que ninguém.

Durante toda a gravidez, Mariana não saiu de perto da família, tinha o apoio do irmão, da cunhada e de sua prima, que estava passando por um momento difícil, com seu marido. 
Nelly e Mariana compartilhavam suas inseguranças, seus medos e é claro, suas gravidezes. Trocavam conselhos e tinham uma relação muito boa. 

Um tempo depois, Urano nasceu, saudável, com uma família que a amava muito e é claro que Nelly foi vê-la, assim como depois, Mariana foi conhecer Thomas.

Mariana nunca contou para Urano sobre seu pai. Para ela, aquela fase foi uma superação e ver sua filha e não relaciona-la com aquele homem, foi uma maior ainda. O amor que ela tinha por Urano era único e por tudo que ela fizesse ou fosse, ela sempre tentava ser a melhor mãe do mundo para Urano, e é claro, ela reconhecia isso, retribuindo todo o amor de sua mãe.

E a banda continua até nos dias atuais, eles contrataram um novo guitarrista, Todd. Mariana continua sendo roadie da banda e eles fazem um grande sucesso, pelo menos em Vale Desiderata e em algumas cidades próximas. 

FIM. 
__________________________________________________
 
Obrigada Andrea, minha querida amiga, pela recolor do vestido afbodynataliadrspumps de "H&M"! <3 :D
Vestido:

6 comentários:

  1. Deniiiiiiiiii, ameeeeeeeeiiiii saber a história da Mari!!! Cara, e que raiva desse Chet!!! Que cretino desgraçado!!! Ameiiii a banda também!!! Será que teremos mais história com essa turma? Seria demais!!! :D E espero que Chet nunca mais volte e não perturbe a linda Urano! :) S2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que amou a história dá Mari! Chet é dá turminha dos trouxas, tipo o Jerry! Uahauahaua
      Não é uma má idéia ter mais histórias com eles! :D Muito obrigada!

      Excluir

Seu comentário ajuda muito com a continuação da história!! Não deixe de comentar :)