sexta-feira, 2 de junho de 2017

Casos ainda não solucionados - Enfim, casados. - T04 - 12 (Final)

 Nelly: Esse vestido que a Dona Marta* fez tá lindo demais! Ainda nem acredito que sou eu que estou usando esse vestido!
Marlene: Você está maravilhosa, querida! Tô me sentindo num conto de fadas!
Nelly: Aí, para Má! - Disse sem graça, com o tanto de elogios que recebia.
Marlene: É a verdade, Nelly. Esse vestido combinou contigo!
Nelly: Tô me sentindo! - Brincou.

Nota*: Marta e toda a sua família fazem parte da série Vermelho & Verde, que recomendo muito que você leia! O mais legal é que eu mandei toooodas as falas para a minha amiga Andrea deixar a cara dos personagens, muitíssimo obrigada, sua linda! :) <3

 Mário: "Queííísoooooooooo" maninho! Tá só nos trinques! Tá mó gato! Oloco! - Fazia um certo show, vendo seu irmão todo produzido daquele jeito. - Foi o primeiro a nascer e vai ser o primeiro a casar, olha que coisa do destino! - Aproveitou para zoa-lo.
Marlon: Isso porque eu uso roupa social praticamente 24 horas por dia né! - Zoou. - E é claro, o primeiro sempre será o primeiro. - Retrucou.
Márcio apenas observava orgulhoso de seu filho, e soltava algumas risadinhas vendo os dois se dando bem, sempre se deram bem, mas aquilo o fazia ter nostalgia da adolescência dos dois na qual ele foi muito presente, junto com Marlene.

 Marlon: E aí pai, tô bonitão, né?! - Passou um gel no cabelo, dando os últimos retoques na aparência.
Márcio: Está lindo demais, querido! Só me dando orgulho! - Falou todo alegre.
Mário: Você tá sendo gentil, né pai?! Tá um gato! - Como de costume, desde quando eram jovens, adorava provocar o irmão e o pai, entrando no meio da conversa dos dois.

 Márcio: Vem cá, filhão! Abraça o pai, aqui. Tô super ansioso para ver esse casório! - E o abraçou.
Marlon retribuía o abraço e dizia: Eu também, pai! Finalmente vou casar com essa mulher! - Comemorou. - Nunca pensei que eu casaria, um dia! E como será que Nelly está?! - Disse curioso.
Mário: Por favor né! Não mais gata que você! -Zoou.
Marlon: Quietinho, senhor não-sabe-de-nada. Deve estar deslumbrante, como sempre! - Sonhava de olhos abertos, pensando na sua noiva.

Nelly: Marlene, só tenho que te agradecer por tudo! - E a abraçou apertado.
Marlene: Magina, querida! Você está sendo a filha que eu nunca tive, eu que te agradeço pelas oportunidades! - Retribuia o abraço dela.
Nelly: Você é a minha segunda mãe! Se não fosse por ti, não sei como eu e o Má trabalharíamos! E nem como eu estaria me recuperando do pós-parto da Josie.
Marlene: Que isso, que isso! É o que o amor de mãe faz! Me alegra o coração ver vocês dois casando e tudo dando certo na vida de vocês!


Música de cena: Pela luz dos olhos teus (Tom Jobim e Miucha)
Sugerida pela linda da Andrea, amei! :D <3 

 Elenor* ainda continuava com as crianças, que incrivelmente a obedeciam e adoravam ficar com ela.

Nota*: Elenor é a sim de minha querida amiga Sally! Que faz parte de sua série Axl Logan, recomendo demais!!!! E mandei todas as falas de Elenor para ela revisar e deixar a cara da personagem! Muuuuuito obrigada! Sua linda <3 :)

 Os primeiros a chegar foram os primos de Marlon, e Patrick os recebia.
Patrick: Bem vindos ao casamento! Bip. Bop! Só se sentar nos bancos que logo tudo começa! Bip. - Disse de forma simpática.
Murilo: Obrigado, robozinho!

 E assim, entravam. Murilo e seus filhos adolescentes já iam ao bancos, e Janine ia em direção de sua filha.

 Janine: Como você tá uma princesinha, filhinha! Vai arrasar entrando com a Nelly!
Eliana: Obrigada, mamãe! Você, o pai e os manos tão lindos também! - Falou toda empolgada.


Patrick: Olá! Bip. Bop. Bem vindos ao casamento de Marlon e Nelly, podem se sentar nos bancos. Bip!
Pedro, Marta, André e Carol agradeceram. Carol e André ficaram curiosos pelo robô, que parecia realmente ter inteligência, e não ser apenas programado para recebê-los, de tão gentil e observador que  robô era.
André: Como será que ele funciona? Eu nunca tinha visto um desses de perto.
Carol: Depois eu pergunto a Nelly isso e o resto: se vale a pena, se é realmente tão inteligente e carismático como parece e tudo o mais que você quiser, mas a noite de hoje será apenas de festa e alegria. Você tinha que ver como ela estava bonita no ateliê de sua mãe. – Carol estava muito feliz pela amiga, que já tinha sofrido o suficiente para uma vida inteira.
Pedro e Marta nunca tinham visto também, mas Marta estava mais interessada em fazer o marido sentar para descansar, devido à recente condição física dele. 



Os Fagundes (em peso) estavam nos bancos eufóricos pelo início do casamento.
Carol informava a Pedro e André, como tinha conhecido Nelly, e Pedro comentava de como ele e Marta conheciam os pais do noivo. Por uma questão de desencontro da vida, André só sabia de Marlon e Mário pelo que ouvia dos pais comentarem.
Marta não via a hora de começar para poder falar melhor com Marlene, que estava ocupada ajudando na cerimônia.

 Logo após os Fagundes, chegavam os primos de Nelly.
Patrick: Bem vindos! Os bancos os esperam! Bip. Bop.
Marte: Valeu, Patrick! Até mais!

 Na frente, sentavam Marte, sua esposa Joana e Timóteo, enquanto Mariana e Liliane sentavam no banco atrás, na esperança de Mário sentar com elas.

Flora, Alexandre e Denise também apareciam.
Patrick: Que saudades. Bop!
Flora: Eu que o diga! Como vão as coisas aí?
Patrick: Corridas! Bip.

 E também se sentaram.

 Depois de espiarem pela janela e verem que todos os convidados estavam lá, decidiram ir.
Márcio: Agora só vamos, filho!
Marlon: Eu tô muito ansioso, meu Deus!
E ao fundo, Mário dava alguns retoques na aparência, na esperança de conseguir alguma moça, hoje.

Música de cena: La La Land - City of Stars

Os três então chegavam, todos nervosos, porém ansiosos com a cerimônia.
 Marlon: Finalmente, grande hora... - Disse nervoso.
Mário: Ergue um topete ai que você fica confiante! - Zoou.
Márcio: Boa sorte, meu filho. 

 E então, ele passou todos os convidados, até chegar ao arco. Os convidados os olhavam sorrindo, alegres com o momento.

 Marlon sentia um nervosismo tomar conta de sí, estava emocionado, porém tentava se conter, e seu maior mistério e vontade era ver a aparência de sua noiva. Parecia estar num sonho, no qual ele não queria mais acordar, só queria sonhar mais e mais. Tudo aquilo para ele era um sentimento novo, um momento novo, no qual, era a primeira e única vez dele, na qual ele pensava e desejava.

Nelly: Meu Deus do céuuu!!! - Disse impressionada. - Quanta gente! E como meu homem está gato! Haja capricho na criação, em dona Marlene! - Brincou.
Marlene soltou umas risadinhas: Só você para me fazer rir num momento de nervoso desse.

 Nelly: Vamos?! - Estava com total ansiedade, queria muito ir aos braços de seu noivo.
Marlene: Vamos!

 Marlene: Meus parabéns, querida! Boa sorte! - Deu um abraço super apertado em Nelly.
Nelly: Obrigada, Má! - E assim, ela retribuía.

 Marlon se gelou todo, da cabeça ao pés ao ver a aparência de sua noiva. Se sentiu como se estivesse re-apaixonado por ela, seu sentimento era de surpresa e de vontade de vê-la ainda mais de perto.
Já Nelly, se sentia apaixonada novamente, seus batimentos eram fortes e torcia para não desmaiar lá mesmo de tamanha emoção, de ver seu lindo noivo e saber que aquele era o momento em que casariam.

 O nervosismo era compartilhado, além dela, todas as suas daminhas estavam, acontecendo que elas fossem depois de Nelly. Um pequeno erro, mas nada que gritante, mas ainda assim, a cerimônia ocorria tudo bem. Todas elas entravam alegres, estampando um sorriso no rosto, Marlon se derretia cada vez que sua esposa chegava mais perto, e ela se sentia mais emocionada com aquilo tudo.

 Marlon: Meu amor... Você tá incrível... Uau... - Estava tão nervoso que palavras não expressavam seus sentimentos, naquele momento.
Nelly: Eu que o diga de você, querido... Você está lindo... E nós, casando... - Também estava nervosa e não sabia muito bem o que dizer.

Num momento de total romance misturado com nervosismo e sem muitas palavras para dizer, trocaram um beijo apaixonado, antes dos votos de casamento, porém, aquele beijo, passou todos os sentimentos que eles queriam, tanto um para o outro quanto para seus convidados.

video
E finalmente, fizeram os votos.

 E todos levantaram para aplaudir.

 Enfim, casados.


Música de cena: With You Tonight  - Summer Moon

 Agora, hora da comilança.


Nelly: Eu e meu marido agradecemos a presença de todos na festa! Vocês são incríveis e me alegra o coração ver todos vocês aqui! – Falou de forma alegre; era uma alegria que não tinha como esconder.
Marlon: Isso mesmo! Agradecemos demais!  Vocês que fazem a festa e nos sentimos muito importantes com isso! – Segurou a mão de sua esposa, olhando-a nos olhos.
Elenor: Nossa, eu que agradeço! E acredito estar falando por todos quando digo que é uma honra estarmos aqui presentes neste momento tão maravilhoso e especial da vida de vocês como um casal! Está tudo encantador e incrível! E estou amando estar aqui! Muito!
Flora: É como a Elenor disse, tia! Concordo com tudo. Me emociona muito, te acompanhei a vida toda! - Disse emocionada.
Maurício: Super de acordo! Tudo perfeito, que nem vocês dois.

Marta: Em nome de minha família, parabenizamos vocês todos. Estamos muito felizes por este enlace, pois irá unir mais ainda nossas famílias
Carol: A festa não está sendo feita por nós, e sim, por vocês, pois reflete a personalidade dos noivos: brilhante, aconchegante, emocionante, inesquecível!
André e Pedro se mantiveram calados, mas concordavam com os brindes, pois suas esposas, Elenor e os demais presentes já tinham falado tudo por eles.


 Nelly: Meninas! - Olhava para Carol e Elenor. - Preciso apresentar vocês! Carol, Elenor; Elenor, Carol! Somos um trio ruivo! - Brincou.


Carol e Elenor riram da observação de Nelly (pois era mesmo uma grande coincidência as três serem ruivas e terem uma amiga em comum) e pelo fato de que, por coincidência, elas já tinham se encontrado antes.
Elenor: Mas que máximo!!! Muito prazer em reencontrá-la, Carol! Ainda mais em um momento tão especial como esse: o casamento de nossa querida amiga Nelly!
Carol: O prazer é todo meu! Estou sendo formalmente apresentada a você e quero o seu contato.
Elenor: Mas é para já! — Ela sorriu; e trocou números e compartilhou seu perfil no Simbook com a nova amiga. Nelly já os tinha, claro. — Assim, poderemos sempre nos falar! E, sinceramente? Continuo achando que você é modelo, viu! — Ela riu. — Olha isso, Nell! Ela não parece uma boneca de porcelana?
Carol: Obrigada, mas é exagero seu, E um dia irei descobrir que além de linda, você também é uma princesa. O que acha, Nelly? É ou não é parecida com aquelas princesas que leio em meus livros?
Nelly: Vocês já se conhecem? Como assim? E eu que sou a última a saber?!! — Nelly ria, enquanto achava bom e engraçado o fato.
Elenor: Pois é, menina! Mundo pequeno, né? Mas vou te contar como foi! — Ela sorriu e contou a Nelly como ela e Liam tinha conhecido Carol e seu marido André no bar-boliche Vista Lane.

Murilo: Aê primão! Finalmente se amarrou! - Comemorou. - Quando vem o terceiro filho?! - Zoou, com um sorrisão no rosto.
Janine: Ai amor! - Olhou feio para ele. - Não empurra um monte de criança pro coitado!! - Zoou junto.
Marlon: Bom, se a Nelly quiser, quem sabe, né! - Disse esperançoso.
Nelly: Deixa passar a lua de mel! - Brincou um pouco e logo após, soltou algumas risadas. 
Janine: Esses Figueira são muito coelho, eu hein! - Zoou, novamente.


 Mário, todo assanhado, já se sentava junto com Liliane e Mariana, e os três dividiam a mesa com Marte, Joana e Timóteo. Para começar suas investidas, e lembrando bem do rostinho de Liliane, mandou um beijinho para mesma.
Mário: Oi melzinho, eu lembro de você. Namoramos já, né? Estávamos no primeiro ano.
Liliane: Lembra até o apelido. - Se derreteu toda. - Claro que já. Como vai a vida, aproveitando muito do seu jeitinho?
Mário: Sempre, e você?
Liliane: Óbvio , loirinho.
Mariana: Ô seus meloso! - Resmungou. - Eu tô aqui, tá! Cadê a promessa que ia ficar comigo a festa toda, senhor Mário Figueira?! - Disse brava.


 Mário, não perdendo tempo, trocou de cadeira, ficando no meio das duas, e assim, mandou beijinho para Mariana também.
Mário: Reformulando, minha cara Mari: Ficarei com as duas, a festa toda.
Mariana: Justo. Mas vai ter que me aguentar até o fim da festa. Tá ficando claro? - Tentou disfarçar que estava toda derretida, com o beijo charmoso que ele havia mandado.
Liliane: Loirinho. - Era o apelido fofo que ela mantinha, desde a época que namoravam, e isso não os incomodavam nem um pouco. - Eu só te quero até a hora que eu for embora, depois, pode ficar todo para a Mari.
Mário: Fechado, melzinho. - Ele também mantinha um apelido para ela. - Trato feito, Mari.

 Joana: Bem que poderíamos ter mais um bebê, não acha, Mar? - Perguntou toda encantada com a filha de Elenor e de Nelly, afinal, eles estavam cuidando delas, hora ou outra, dando alimento, água e etc.
Marte: Ah, meu bem. - Suspirou - Temos que ver, a Dalila não ia gostar muito da idéia. - Disse em tom que talvez não desapontasse Joana.
Joana: Eu sei, meu amor. A Dalila é difícil, mas quem sabe uma notícia repentina não mude o coraçãozinho dela.
Marte: Acho difícil.

 Já na mesa dos jovens, eram várias conversas paralelas e raramente eles chegavam num acordo, até que...
Theo: Já que a gente tá sem fome, que tal dançarmos até dar fome?! - Sugeriu, empolgado com as músicas que tocavam e doido para dançar.
Eliana e Bianca, em coro: Super topo!
Thomas: O que vocês acham?! - Olhou para Dalila e Urano.
Dalila: Ah sei lá, só quero minha mãe! - Resmungou.
Urano: Eu topo, Thominhas! - Disse alegremente, ignorando os dramas de Dalila.

 Timóteo, como um bom fazedor de drinks, foi ajudar Patrick nisso.

Música de cena: Gorillaz - Andromeda

 E todos os jovens foram para a pista.

E dançaram sem parar, tinham o foco em contagiar todos da festa, para a pista.

 Por a música estar bem alta, Marlon cochichava para Nelly: Minha linda esposa. - Disse todo orgulhoso, a fazendo dar algumas risadinhas. - Vamos lá na pista? O Thominhas esta lá.
Nelly: Claro, meu marido! - Disse também orgulhosa.

 E lá, dançaram juntinhos.

 Carol e André também não perderam a oportunidade!

Mário foi pegar umas bebidas, ao ver que estavam prontas, e percebeu que as duas chicletes o seguia.
Mário: Vocês são chatas, eu hein. Deixa eu respirar. - Resmungou, fazendo um certo charme.
Liliane: Ai, loirinho. Nós duas só queremos ficar pertinho de você.
Mário: Tá, tá. Só deixa eu curtir a festa do meu irmão, por favor, melzinho.
Liliane: Claro, respeitando seu espaço. - Disse sorrindo.

 O casal "álcool no sangue" já ia para as bebidas batidas com abacaxi, e lá se deliciavam, afinal, quase ninguém tomava, então aquilo era praticamente tudo deles. E ao fundo, Mário corria de suas peguete e na mesa, os mais velhos conversavam.

E mais gente se juntou na pista de dança.



Marlene: Esses jovens são cheios de energia, não acha? – Disse os admirando. – Nós aqui sentados e eles lá dançando! – Brincou.
Márcio: Vou só esperar a comida descer e vou lá mexer o esqueleto, e vocês? – Disse com um sorriso no rosto.
Marta: Depende do que terá! Pedro está fazendo uma dieta severa.
Pedro: Só é severa, por que é Marta quem fiscaliza.
Marlene: Fique tranquila, Marta. Não tem nada pesado. Olhamos antes quem vinha para evitar comida que fizesse mal a alguém, inclusive a mim e Márcio, que gostamos de comer, mas que já passamos dos 18 faz tempo e, por isso, não temos estômago de aço.
Márcio: Fale por você, minha velha. Meu estômago aguenta esta comida e muito mais. E o seu, Pedro?
Pedro: O estômago aguenta, mas eu quero me manter firme por muito tempo ainda. Querendo ou não, vou me ater à “Dieta de Marta”. Mas talvez eu vá lá e ensine a estes guris como se dança. Vai comigo, minha flor?
Marta pensou por um momento e depois disse:
Marta: Acho que vou, senão, você esquece da hora de parar, e pode piorar sua situação.
Pedro tinha ficado internado recentemente e Marta tomava todo o cuidado para Pedro se recuperar, mas nunca citou a Marlene o ocorrido, para que esta não ficasse preocupada.
Marlene: Ih, meu filho tá vindo, e tem duas atrás dele. – Disse brava. – Vamos para a mesa mais perto da baladinha? Não quero ficar aqui.
Márcio: É, vamos, minha velha.  – Concordou com a esposa.
Pedro: Que tal, Marta, ficarmos perto da pista? E aproveitar e dançar logo.
Marta: Desde que eu não seja obrigada a dançar mal, tudo bem.
Marta desconhecia os passos daquela música que estava tocando, pois não curtia música eletrônica, embora achasse interessante a batida e a letra daquela. O fato é que não queria passar vergonha em público.
E assim, eles trocavam de lugar, ficando mais próximos dos que estavam dançando, admirando e muitas vezes, rindo de alguns passos de dança.


 E as duas corriam atrás de Mário, o abraçando e o deixando um pouco vulnerável.
Mário: Garotas, vamos com calma! - Exclamou. - Aqui a festa do meu irmão, se não fosse, quem sabe! - Se explicou. - Desculpem! - E engoliu saliva, nervoso.
Mariana: Tem algum cantinho para nós, certeza! - Se assanhou.
Liliane: Sim, sim! - Concordou com que Mariana disse, toda assanhada, também.

 Sem perder muito tempo Liliane o agarrou, o beijando e deixando Mariana ferrada da vida, por não ter sido ela primeiro. E Mário, gostando daquilo tudo, nem a impediu.


Marlene se levantava e começava a se empolgar.
Marlene: Meus amigos, vamos dançar?!
Marta: Vou ficar um pouco mais.
Pedro: Só um pouco não vai doer. Vamos lá dançar!
Marta: Você ainda está se recuperando. Esqueceu?
Pedro: Prometo pegar leve e me comportar como um bom garoto que sou.
Marta: Quem não te conhece que te compra. – Marta resmungou – Tudo bem. Vamos lá! Mas se o ritmo aumentar, voltamos a sentar.
Pedro já não ligava para as rabugices dela. Quando ele dava uma de rabugento, ela que o aguentava. E ali, queria aproveitar a festa.


E eles também foram curtir a pista um pouquinho.

 E todos dançavam alegremente. Curtindo a música e no seu próprio ritmo e jeito, aproveitando muito bem a festa.


Música de cena: I got sim blues

 Mário ficava todo animado vendo toda a sua família na pista, e também, depois de uns beijinhos.
Mário: Vamos dançar, minhas damas?! - Falou empolgado.
Mariana: Topo! - Disse sorrindo.
Liliane: Eu também!

 E o que Mário Figueira diz, Mário Figueira cumpre. Dançou primeiro com Mariana.

 E revezava com Liliane. Foi assim a festa toda.

  Marlon curtia a baladinha com sua esposa, parecia estar no céu ao lado dela, estavam apaixonados e se amando muito, naquele momento. Sentiam-se como dois adolescentes que acabavam de descobrir o que era amar.

As três da manhã, muita gente já havia ido embora, e os rapazes se juntavam na bancada, para ter aquelas conversas de homem.

Marlon: Cara, ainda não tô acreditando que casei com a Nelly, tudo parece um sonho! – Falava ainda encantado com tudo aquilo que aconteceu.
Mário: É a vida né! Hoje a Liliane e a Mariana não saíram do meu pé! Meu Deus! – Fazia um certo charme, gostava daquilo, de um certo modo.
André: Aproveite, Mário, sua solteirice. É bom fazer somente o que a gente realmente quer, desde que seja de forma consciente.
André tinha percebido o jeito de Mário, e embora não concordasse em brincar com o sentimentos de duas garotas ao mesmo tempo, aquela noite não era para reprimendas, e Mário já era adulto e tinha mãe, por isso apenas citou a responsabilidades pelos atos. E casar por casar trazia infelicidade a todos os envolvidos, pelo que André já tinha visto por aí. E Mário, pelo que André ouviu e viu, não era destinado ao casamento, mas tinha bom coração. Provavelmente, não tinha a intenção real de magoar aquelas garotas.




Marlon: E como anda a vida com a Carol, André?! A Nelly me disse que vocês trabalhavam juntos. Trabalham onde, mesmo?! – Perguntava todo curioso, sobre o novo amigo.
André: A vida de casado é ótima. Ter alguém ao lado para poder sempre conversar, desabafar o estresse, alguém que pense o mesmo que você... – André ficou sonhador quando lembrou as brincadeiras e conversas que tinha com a companheira, mas logo voltou às perguntas de Marlon - E quanto ao trabalho, eu sou chefe de segurança e Carol é contadora na mesma empresa.
Embora soubesse que Nelly e Marlon eram de confiança e eram do mesmo ramo atual, os “trabalhos” de segurança eram os que Marta e Pedro sabiam dele. Provavelmente, a mãe deveria ter deixado escapar isso para Marlene. André preferiu manter esta história e depois, poderia falar somente a Marlon e Nelly sua verdadeira profissão, após uma conversa com Carol, para que não houvessem informações contraditórias.
Marlon: E trabalhar junto deve ser bom, né?
Mário: Não chegam a trabalhar juntos, Marlon, já que ficam em locais separados. E mulher gosta de farda de segurança. Você leva muita cantada? Já pegou muitas garotas? E tem vaga lá pra mim?
Mário ficou muito interessado nestas possibilidades.
André: Que peguei tanta mulher, nada! Tem é muito trabalho. Temos que ficar de olho em tudo. Segurança não é apenas cuidar para que nada seja roubado, mas até o bom-funcionamento do prédio está sob minha responsabilidade. E de mulher lá dentro, só peguei a que eu tenho mesmo. Já levei muita cantada, mas nunca gostei de “apenas curtir o momento”. E agora não tá contratando gente, mas quando abrir novas inscrições, te falo, Mário.
Neste ramo tinha que ter muita responsabilidade e maleabilidade com as situações. Marlon parecia se encaixar melhor, mas talvez Mário tivesse também as qualidades necessárias, já que André o tinha conhecido naquele momento. Ele realmente falaria com Marlon quando houvesse chance.
Mário: Me fala, mesmo. E as mulheres que você não pegou, não tem problema; eu pego por você.
Os três riram da esportividade e autoconfiança de Mário.


 Joana, Marte e Dalila tinham ido embora, porém Liliane, Mariana e Timóteo ficaram, para curtir um pouco o sobra-bolhas.

 Já o trio das ruivas colocava o papo de moças em dia, sentadas no tapete de dança.


Nelly: Garotas, isso ainda está sendo um sonho para mim! Pensei que iria ficar encalhada a vida toda! – Zoou.
Elenor: Você encalhada? Linda e inteligente, você só teria ficado “encalhada” se quisesse! — Ela sorriu.
Carol: Isso mesmo, Elenor. Sem chance de Nelly ficar “encalhada”! – Carol passou a se dirigir diretamente a Nelly - Além de linda, você é do tipo dedicada e altruísta. Todos querem alguém assim na vida. Se demorou mais tempo para casar, é porque a gente sabe que você não aceitaria qualquer um para dividir a vida contigo.
Elenor: E pelo que ouvi das crianças, quando fui ver Leena, além de um bom marido, você encontrou um bom pai para Thomas e Flora.
 



Nelly:  Obrigadissíma pelas palavras e por vocês duas terem vindo! É tão bom te rever, Carol, e você também, El! Vocês deixaram tudo mais fantástico!
Elenor: Olha, Nell, eu jamais poderia perder esse momento tão importante de sua vida! Jamais! E desejo que você e Marlon sejam felizes para sempre, viu! — Abraçou a amiga com sinceridade e carinho nos olhos.
Nelly se levantava e abraçava também a amiga, retribuindo todo o carinho.
Carol: Fantástica está a festa e você, acima de tudo!


 Depois de muito brincar com sua irmãzinha, Thomas percebeu o isolamento de Urano do pessoal e foi lá fazer companhia a ela.
Thomas: Oi Uno. Você tá bem? - Perguntou preocupado.
Urano: Ah, eu tô né. - Falou desanimada, bocejando um pouco.
Thomas: Certeza?
Urano: Não exatamente. Eu tô com um pouco de sono, mas também me sentindo triste. - Desabafou.
Thomas: E por que você tá triste, Uno?
Urano: Sei lá, minha mãe nunca para com um homem, igual seus pais, e eu sempre quis um irmão. - Falou chateada. - A Dalila tem os pais juntos e reclama de tudo, o meu eu nem conheci!
Thomas: Ah, fica fria, eu conheci o meu e ele é um babaca. - Tentou consola-la. - O Marlon tá sendo um pai para mim, mas olha, talvez ela e o tio Mário se amarrem hein! Vi ela correndo atrás dele a festa toda! - Zoou, querendo vê-la feliz.
Urano deu uma risadinha, que fez com que sua vontade de chorar também fosse embora: Você acha, Thominhas?
Thomas: Certeza eu não tenho, mas se vocês vierem mais para cá, por causa do Mário, você vem me visitar? - Sorriu, enquanto dizia.
Urano: Claro! Vai ser demais brincar com você! - Um sorriso também começava a surgir em seu rosto.



Marlene: Fazia tempo que eu não dançava, hein?! Vou dormir que nem um bebê hoje! – Disse ainda ofegante, pelo cansaço.
Márcio: Vou até posar aqui na casa do Marlon, não dá para ir embora não!
Pedro: Também, estou cansado, mas não iremos dormir aqui.
Marta: Pois é. André alugou um carro pra gente e ainda bem que ele não bebe e está descansado. Me sinto mais tranquila.
Marlene: Mais ele dirigir até lá não é perigoso? Pelo horário e tudo? – Disse um tanto preocupada com os amigos.
Pedro: Ele e  Carol irão revezar no volante, se ou outro ficar cansado. E nem é tão longe a nossa cidade!



Depois de muita conversa, estava na hora de ir.
Nelly: Venha mais vezes, viu?! Adoro sua presença!
Carol: Também amei muito estar aqui. Sabe que o nosso trabalho é desgastante e nem permite a gente ter residência fixa, mas logo voltarei.
Marlon: Aê mano, foi bom te conhecer! Temos que marcar de treinar, qualquer dia desses!
André: Com certeza! E seja muito feliz, cara. E não ligue se alguém disser que você perdeu algo por deixar de ser solteiro. Você ganhou mais que uma mulher: ganhou uma parceira na vida!
Marlene: Marta, querida! Já estou com saudades. Temos que marcar de tomar um cházinho juntas! - Marlene falava emocionada por se separar de seus amigos.
Marta: Tem razão, Marlene! Vamos marcar para se rever logo. Você cuidará do chá e eu das guloseimas.
 Márcio: Foi bom te rever, amigo! Façam boa viagem!
Pedro: Pode deixar. E digo o mesmo para vocês: quando voltarem para casa, façam uma boa viagem também.


Depois que os Fagundes foram embora, Nelly e Elenor pegaram suas pequenas e ficaram conversando com Marlon e Mário.
Marlon: Que legal. É um prazer te conhecer, Elenor. É bom demais saber que tem outros tipos de detetives no quarto império! – Disse, feliz ao fazer uma nova amizade.
Nelly: Não estamos sozinhos! - Brincou. – Seria demais, se sem querer, algum dia, nós resolvêssemos o mesmo caso! – Disse, imaginando como seria.
Mário: Que coisa muito louca essa de ser detetive. – Disse perdido nas idéias. – Por isso que eu trabalhei como barman a maior parte da minha vida! Sem contar as vistas lindas que eu tinha! – Sonhou de olhos abertos com as moças que já passaram em sua vida.
Elenor: Seria muito legal trabalhar em conjunto com vocês! Tomara que um dia algo assim grandioso aconteça! — Ela sorriu, pensando que seria demais se um dia isso ocorresse.


Após Liliane e Timóteo terem indo embora, Mariana se juntava com eles, na bancada.
Mariana: Qual é o papo, pessoal?! – Falou curiosa.
Nelly: Estamos falando o quanto é legal ser detetive, Mari! – Sorria, após dizer.
Marlon: Sim, sim. – Concordou com o que Nelly dizia. – O que achou da festa?!
Mariana: Maravilhosa! Façam mais vezes, por favor! – Seu tom era de total empolgação, mas seu olhar malicioso era voltado a Mário, que fazia com o que o mesmo desse um sorrisinho de canto.
Elenor, como detetive, rapidamente notou os olhares entre Mariana e Mário. Resolveu então ajudar os dois: — Por que vocês não dançam um pouco? Se eu não estivesse tão cansada, até eu iria! — Ela sorriu.
Mário: Ih, agora?! Já estou cansadão! – Zoou.
Nelly: El, vamos colocar as meninas para dormirem? Tão cansadas, tadinhas. – Aninhava Josie, enquanto isso.
Elenor: Com certeza! Já passou da hora dessas linduxas caírem na caminha! — Ela disse dando umas beijocas na filha, que sorria, ainda bem desperta.
 
E os dois ainda conversavam, era assunto que não acabava mais.
Urano: Thominhas, você acha que a minha mãe vai embora agora? - Perguntou desapontada. - É que eu queria falar mais com você.
Thomas: Acredito que não! - Tentou consolar ela, novamente. - A gente vai conversar até tarde!

 Elenor e Nelly aproveitaram que tudo estava mais silencioso e foram colocar suas meninas para dormir.
Nelly: Fiquei tão feliz com a Majô dançando a festa toda! Melhor foi ver ela e a Leena dançando juntas no meio das crianças!
Elenor: Também achei as duas juntas uma cena linda demais, Nell!!! Elas certamente serão grandes amigas, como nós duas! — Ela sorriu. — Não tenho nem dúvidas!

Enquanto Marlon tomava banho, os mais velhos se reuniam na sala, para conversar um pouco.

Marlene: Que legal, querida. Você e a Nelly parecem irmãs! – E pensou um pouco. – Você, Nelly e a Carol! – E sorriu.
Elenor: É verdade! — Ela riu. — Somos todas três bem parecidas! Poderíamos certamente passar por trigêmeas bem fácil. Olha aí: ótimo disfarce! — Brincou.
Márcio: Como são as coisas no quarto império? Nunca fui para lá, mas o pessoal diz que é tudo lindo, acredito neles.
Elenor: Ah, é tudo muito lindo mesmo! Mas eu sou suspeita para falar isso, pois eu aaaaamo o Quarto Império! Acho que tudo lá é muito organizado, limpo, bonito. Não que aqui no Segundo Império não seja assim. É também. Mas os lugares do Quarto Império são... Como eu posso dizer?... — Pensativa. — São contemporâneos, únicos, modernos! É isso! — Ela sorriu, feliz por ter conseguido achar as palavras que procurava. — Então espero que um dia o visitem! Tenho certeza de que irão amar!

Já Urano e Thomas brincavam no quarto, hora brincavam com a casinha de bonecas que foi de Nelly e Flora, de "Pirulito que bate-bate", outra com a caixa cheia de brinquedos de Thomas.

 Com área de fora toda para os dois, Mariana finalmente realizou seus desejos junto de Mário.


 Na manhã seguinte.
Nelly: El, obrigada mesmo por ter vindo! Venha mais vezes, viu? Sua presença foi maravilhosa! O Thominhas matou as saudades da Leena!
Marlon:  Mabelzinha já está com saudades da Leena! – Disse enquanto aninhava sua filha, que estava quase chorando, pois sabia que Leena iria embora.
Elenor: Da próxima vez, vocês irão passar uns dias comigo e com o papai! Assim levaremos Thomas, Mabelzinha e Leena para passear em vários lugares maravilhosos! Está feito o convite! — Ela disse enquanto também aninhava sua pequena, que também choramingava já de saudades de seus amiguinhos. — E, crianças, logo vocês se verão novamente, ok? Thomas, obrigada por ter brincado e cuidado das duas. Você é um menino maravilhoso! E, Mabel, logo vocês todos estarão reunidos novamente, ok? Eu prometo, princesa! — Ela sorriu, enquanto tentava confortar as crianças.
Thomas: Que isso, Tia El! A Leena é uma fofa! Amei brincar com ela! Não vejo a hora de brincarmos mais! – E sorriu com sinceridade, logo acenando, se despedindo, e indo brincar com sua avó.
Nelly: Faça uma boa viagem! Se cuidem! Mandem mensagem quando chegarem!
Elenor: Pode deixar, amiga! E vocês se cuidem também! Todos, viu! Mantenham-se sempre unidos porque família é tudo! E muito obrigada pela estadia maravilhosa! Foi tudo muito lindo e inesquecível! Beijos, meus amigos queridos!!! — Ela despediu-se já saudosa daquelas pessoas maravilhosas, as quais levava sempre consigo em seu coração.

Para ler o especial da lua de mel, clique aqui.

6 comentários:

  1. Além de terem o mesmo namorado, Mariana e Liliane já sentam juntas! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Conheço aquela Denise de vestidop amarelo de algum lugar! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Mário e seus topetes!

    "Haja capricho na criação, hein, dona Marlene!"
    Ri um bocado aqui!

    Ficou lida a fala de Nelly e a apresentação das duas! AMEI!!!!

    Mariana e Liliane sabem dividir o namorado! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Tadinha de Urano! Sente falta de raizm de uma família sempre presente! Torço para que você logo encontre, Urano!

    Verdade! Três ruivas de conhecerem? Mundo pequeno!

    Muito lindo, Deni! Parabéns! Foi muito bom Carol e André participarem da festa e conhecer e rever todos!

    E parabéns a Nelly pelo casório!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A amizade de Mariana e Liliane é maior que os encantos de Mário auahuHauahauahaua Aí elas dividem ele de boa, nesses momentos :P
      Oba! Fico feliz que amou ❤
      Pois é! Urano sente falta:( Mas espero tb que ela consiga!
      Uahauahauaha que coisa do destino :P
      Quem será aquela Denise né? xD UAHAUHAHAHAY
      Obrigadaaaaaa!!! Amei ter Carol, André, Marta e Pedro na festa! Muiiiito obrigada por ter os emprestado para esse momento! :D
      Finalmente Nelly casou com seu amor! \o/
      Obrigada por ter lido e comentado, Andrea!!!! Beijos!

      Excluir
  2. Oiiiii, Deniiiiiiii!!!

    1- Que linda a Nelly!!! \o/

    2- E ri muuuuuito da conversa de Marlon, Mário e o pai Márcio!!! Huahuhuahuahuhua... Eles são engraçados demais!!! \o/ :D

    3- E que linda a conversa de Nell e Marlene! S2 Como não amar?!!

    4- Aiiiiiii, e olha minhas Elenor e Leena ali!!! Ai, que emoção!!! Estão lindas!!! Muito obrigada por esse lindo crossover, Deni!!! Amei demais!!! S2

    5- Carol, André, Seu Pedro e D. Marta de Vermelho e Verde!!! Weeeeeeeeeeee!!! Amo, amo crossovers!!! E adoro essa história da nossa querida amiga Déa também!!! \o/

    6- Olha a Deni na própria história!!! Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah!!! \o/ Amei MUITOOOOO!!! :D

    7- Marlon entrando e a pestinha da Leena lá atrás! Kkkkkkkkkkk...

    8- Que lindo e emocionante o momento em que Nelly entra!!! \o/

    9- E que festa lindaaaaaaaaaaaa!!! \o/ S2

    10- Adorei os brindes!!! Muito, muito, muitooooooo!!!

    11- Ficou demais o reencontro de El e Carol!!! :D S2

    12- E Mário dando em cima de Liliane na frente de Mari? Geeente, que moço é esse? Kkkkkkkk... Ele me lembrou o Batera nessa pegação toda! Kkkkkkkkkkkkkk...

    13- Ameiii o trio ruivo sentadinho conversando! :)

    14- Lindaaaaaaa a conversa de Thomas e Urano! :D Que fofos!!!

    15- Ai, que lindaaaaaaas elas colocando as bebêinhas para dormir!!! :D

    16- E que linda a despedida deles!!!

    Deni, arrasouuuuuuuu!!! Capítulo lindo, super bem trabalhado, caprichadíssimo, fotos lindas, absolutamente perfeitooooooo!!! Vc está de parabéns!!! Amei muitoooooooo!!! E obrigada por todo o carinho com El e Leena! S2 Beijocas!!! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1-Nelly é minha xuxu ❤ Toda linda!
      2- Os três juntos... Não tem quem aguente! Uahauahauahauaha :P
      3- São umas fofas ❤ Elas tem um carinho enorme, uma pela outra :D
      4- Fico muuuuuuito feliz que amou! Amei ter elas na festa e tirar as fotos delas! \o/
      5- também amoooooo, foi bom demais ter eles na festa! AMOOOOOO tirar foto de crossovers! :D
      6- Tive que me incluir num momento desses né!!! UAHUAHAUAHAUAHAUAHU
      7- Leena queria acompanhar de pertinho a cerimônia :P
      8- Amei fazer esse cena ❤
      9- OBAAAAAAAAA! ❤❤❤❤
      10- Fico muito feliz que adorou! :)
      11- Também amei fazer esse reencontro acontecer ❤
      12- Esses três aí, tem história para contar!!! UAHAUAHAUHAUAHAUA triângulo nada-amoroso, porém justo de todas as partes xD
      13- Meu trio preferido! ❤
      14- São uns amores! Thomas é um doce de menino! :) ❤
      15- Essa foto ficou um amor! ❤
      16- Também achei :P uahauahauaha

      Obrigadaaaaaa Sally! :D fico muito feliz que amou tuuuudo! Isso me anima demais com tudo! \o/
      Cuidei de suas garotas com muito carinho! ❤❤❤❤ Beijinhos!

      Excluir
  3. Que festa linda!!!! (e animada rs)
    Amei as roupas, os cabelos (principalmente da Liliane =D ), o vestido da Nelly era fantástico!
    Um amor Thomas e Urano. *.*
    Um final lindo, de temporada incrível! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadaaa! Tinha que ser bem animada mesmo, para esse tantão de gente :P
      Aquele cabelo de Liliane é lindooooo demais! ❤
      Os dois são umas fofuras ❤
      Muuuuuuito obrigada! Fico muito feliz que gostou!!!! *-* ❤

      Excluir