quarta-feira, 7 de junho de 2017

Casos ainda não solucionados - Good Vibes. - T05 - 01.



___________________________________________________________________________


Essa temporada será bem especial! Ela todinha terá a participação de Mauro, sim da série The O.Sim de minha amiga Fazinha! Recomendo muito você conhecer e ler, se ainda não leu! :) E
visitem o site dela, ela está com história nova e boa demais para vcs acompanharem <3 
E também, Fazinha vai deixar todas as falas dele do jeitinho que ele falaria, muitissímo obrigada! <3 
__________________________________________________________________________________


Em 5 anos, muita coisa mudou. Os pais de Marlon e Mário se mudaram para o mesmo terreno que eles, tanto pelo idade que tinham, quanto para ficarem mais aos cuidados do casal. Lá eles construíram uma casa para eles se sentirem mais a vontade. 


Isso os uniu mais. Todo o fim de semana eles se reuniam no quintal de trás da casa para fazerem algo juntos. 




Mário e Marlon treinavam juntos. 

E Nelly continuava com o balé que começou com Marlene. 



Flora e Alexandre terminaram a faculdade, nesses 5 anos, e quando voltaram para a mansão dos Caixão, se casaram. 

Foi uma cerimônia bem particular, porém bem significativa e bonita, tanto para o casal quanto para os convidados. 
 

Também, as crianças da família, tirando Eliana, que era a mais nova, antes de Mabel Josephine, completavam seus tão esperados 15 anos de idade. E nada melhor do que comemoram em família. 



Foi um momento emocionante, tanto para Nelly, que jamais esperaria que seu filho viraria um moço, quanto para Marlon, que o adotou e criou como se fosse seu filho de sangue e se emocionava com tudo aquilo.  Mariana também escondia a cara de choro vendo sua filha se tornar uma moça, já Marte e Joana comemoravam bem alegremente vendo Dalila crescer. 



Mariana: Filha, nem tô acreditando que você já é uma moça... – E tentava esconder o choro.
Urano: Ah  mãe, não precisa ficar emocional! – Tentava quebrar o clima. – Você sabe que vou continuar ao seu lado por toda a vida, né!
Mariana: Acho que a gravidez está me deixando emocional, querida.



Marlon: Quem agora já é quase um homem, hein?! – E fez algumas cócegas nele, o fazendo rir.
Thomas: Aí pai! Sou eu! – E ria bastante. – Mas e aí, quando vai me ensinar a bater naquele saco de pancada?! – Disse empolgado.
Nelly: Olha Josie! Como seu irmão já é um moço! – E brincou com ela, que sorria alegremente vendo seu irmão.
Marlon: Assim que eu puder, meu filho! – Disse empolgado.
Thomas: Agora tenho tamanho o suficiente para cuidar melhor da Mabel! – Tinha puxado bastante a sua prima Flora, que também, havia cuidado dele. 


Marte: Parabéns, filhinha. – E a abraçou, orgulhoso.
Dalila: Obrigada pai. E filhinha não! Já sou moça! – Resmungou.
Joana: Que tal te chamar de filhona?! – Provocou a filha, enquanto abria um grande sorriso.

  

Enquanto isso.

Na Vila água Azul existia um bar hippie que era gerenciado por Mauro, e junto dele trabalhavam: Juca, Marvin e Nina! 




Nina e Juca cuidavam do bar da mixagem, se encontrava ao lado da grande escada. Diziam que as bebidas misturadas dos dois eram ótimas! Já Marvin, cuidava do bar maior, que era onde faziam os salgados, saladas, lanches e tudo que você pode esperar de um local Hippie! E Mauro cuidava de tudo, no geral, sempre gostava de ficar um pouquinho em cada canto. 




Mauro: Rapaaazzz! Que balhureira é essa?! Parece até um trator zicado na minha plantação de orquídeas cósmicas! – E ia se levantando da cama. 


Então, ele se direcionava até a janela, onde tentava ver alguma coisa, porém, era bem escuro, afinal, estava bem de noite.
Mauro: Aê, simpatia, quer saber? As estrelas e suas energias cósmicas e pá e tal estão me mandando dormir e é isso que vou fazer. Amanhã eu vejo que “birinight” é esse que tá rolando! 

Sem muito esforço, voltou a se deitar.



No outro dia.
Mauro: Juca! Onde está a deusa Nina e o sábio Marvin?! Essa demora deles está atrasando minhas vibrações energéticas!
Juca: Ih chefinho, nem sei! – Exclamou. – Mas hoje é dia de pagar as contas do Good Vibes!
Mauro: Pô, bicho, é mesmo! Então você irá por mim?
Juca: É claro! Logo apareço por aqui!
Mauro: Cuida bem de sua aura-energética e até mais! 

Mauro: Pelos pêlos faciais daquele que, entre os hebreus, anunciava e interpretava a vontade e os propósitos divinos e, ocasionalmente, predizia o futuro por inspiração divina, que carta é essa?! Seria um escrito, fechado em envelope, que se dirige a alguém dos deuses cósmicos que futuramente virão visitar meu bar?




Mauro: Bora sentar e ler com calma. – Então, ele puxava a cadeira e virava a carta, para ele ler melhor.



E na carta, estava escrito:
“Querido Maurinho,
Fui buscar algumas frutas para o Good Vibes, não sei que horas voltarei, mas espero que você, Juca e Marvin fiquem bem.
                                             Um beijo, Nina.”
Mauro: Wow, bicho, essa garota é eficiente mesmo! Gosto de gente assim! – Dizia abrindo um grande sorriso. 




Mauro: Acho que vou aproveitar e sair também, sabe? Dar uma passadinha na cidade, ver mais gente de energia boa e quem sabe achar umas coisas da hora para o bar. – E ia entrando dentro de sua casa.




Mauro: Bicho, que maluquice! Cadê a peça de metal que movimenta a lingüeta das fechaduras do meu fusquinha?! – Dizia enquanto revirava sua cômoda de roupas. – Até onde eu sei, guardo ela aqui no meio, para ninguém pegar! 



Decidiu também chegar em sua estante de toalhas, quem sabe não estava lá.
Mauro: Rapaaazzz... Não tá aqui também! 



Mauro: Quer saber?! Vou ligar para aqueles detetives que muita gente recomenda. Quem sabe eles não são iguais aos de Scooby-Doo e acabam tirando a máscara de alguém, pagaria para ver... Na verdade, vou ter que pagar mesmo! – E ria sozinho.


Na casa dos detetives.
Mabel Josephine passava mais tempo na casa de seus avós, agora. Os dois sempre davam um jeitinho de “sequestrar” Mabel e ficar com ela, usavam desculpas como: “Logo alguém liga para vocês e vão ter que vir aqui nos fundos de todo o jeito.” Ou “ A Mabelzinha precisa de avós presentes também.” 



Neste tempo, Marlon, Nelly, Mário e Thomas ficavam conversando na sala. Adoravam por o papo em dia, Thomas era bem curioso quanto o trabalho dos pais, então, ele sempre tinha dúvidas de como funcionava as investigações, como eles juntavam as provas e etc. E na maior boa vontade, o casal o respondia, eles pensavam: “Quem sabe Thomas não siga nossos passos, não é?”. 



Até, que como natural do dia a dia, o telefone tocou.
Nelly: Vou atender, pessoal. Já volto.
 


Mauro: Alô, simpatia? 


Nelly: Olá! Prazer, Nelly de Achados e perdidos. Qual é o caso?

Mauro: Oi! Sou Mauro. Seguinte, eu perdi a peça de metal que movimenta a lingüeta das fechaduras do meu fusca, e quero a ajuda de vocês! Sumiu bem do nada mesmo.

Nelly: Isso seria... Uma chave? – Perguntou confusa, pela forma que Mauro conversava.

Mauro: Wwwwwwow, simpatia, bem mais fácil.

Nelly: Pode deixar que vamos aí. Onde é seu sua casa?

Mauro: Meu bar se chama Good Vibes e é bem perto do mar, nem tem como errar!

Nelly: Certo, nos dê uns minutos e logo estaremos ai.

Mauro: Calma é meu sobrenome, Nelly! 


Nelly: Querido, mais trabalho para nós! – Disse empolgada.
Marlon: Finalmente! Vamos?!
Nelly: Vamos! 


Antes de Marlon ir até a porta, Mário o alcançava.
Mário: Ae, maninho. Posso ensinar o Thominhas a dirigir?



Marlon: Mário... – E franzia uma de suas sobrancelhas – Ele só tem  15 anos! Não tem como você esperar ele fazer 18 e tudo...? É perigoso.
Mário: Ah, poxa! Isso vai aproximar ainda mais nós dois, como tio e sobrinho e prometo que ele estará em boas mãos! – Passava a confiança, acima de tudo que ele fosse, era um tio precavida e preocupado.
Marlon: Certo, só toma cuidado. Se não só não será a Nelly que te dará uns cascudos não... – Disse um pouco sério.
Mário: Eu sei! Eu sei! Todo o cuidado do mundo com meu sobrinho!
E ouvindo a conversa toda, Thomas abria um sorrisão, sabendo que iria aprender a dirigir.




Nelly: Meu amor, por que demorou? – Perguntou curiosa.
Marlon: Mário quer ensinar o Thomas dirigir.
Nelly: Não quero nem ver onde isso dará. – E suspirou, um pouco preocupada com a segurança de seu filho.
Patrick: Thomas é esperto, Nelly! Bip. Bop.
Nelly: Se é! - Disse orgulhosa do filho. -  Então vamos! 



Mário: E aí, tá ansioso para aprender dirigir?! – Perguntou, também ansioso em ensina-lo.
Thomas: Demais, tio! Mas também tenho uma dúvida!
Mário: Pergunta aí, criança! 



Thomas: Como vai ficar a relação de você e da Tia Mari? – Perguntou, bem curioso.
Mário: Quê? – Perguntou confuso, afinal, relação não estava em seu vocabulário.
Thomas: A relação de vocês, por causa do bebê. – Se explicou.
Mário: Thominhas... – Suspirou, antes de começar a falar. 



Mário: Não pensa que todo mundo são igual ao seus pais, sabe? – E fez cara de confuso.
Thomas: É? – E sorriu.
Mário: É, a relação deles é algo bonito, diferente e bem sério. E eu não sou como meu irmão, você sabe disso. Relação não é comigo e nem com a Mariana, você sabe. Eu só estou indo visita-la pois eu quero assumir esse filho, saber como estão as coisas e tal, Thomas. Não gosto de casamento, mas gosto da parte de filhos e essa coisa toda. Puxei isso dos seus avós.
Thomas: Entendi. É bom aprender coisas novas, tio. – E pensou.
Mário: Só não me leva como exemplo para sua vida. Vai aparecer muita menina boa para você que realmente vai ser bom levar adiante, perdi várias oportunidades dessas pelo meu jeito, não me arrependo, mas também não recomendo.
Thomas: É, me inspiro no Marlon, para ter algo, só queria entender você! – Disse inocentemente.
Mário: Bom saber! Agora vamos parar de conversa e por o pé no acelerador, Thomas! – E riu um pouco.
Thomas: É sério? – E ia colocando o pé no acelerador.
Mário: Thomas, não! – Riu mais ainda, pela inocência dele. – Tem toda uma manobra para sair daqui, vamos com calma. 



No Good Vibes.
Nelly: Acho que é aqui. Ele comentou de um fusca, mar ... – Dizia admirando o local.
Marlon: Realmente, é bem bonito. Vamos ver o que ele quer. – Também admirava.
Patrick: Acho que a entrada é por aqui! Bip. Bop. – E apontava para as escadas. 


Marlon: Que escadona!
Nelly: É o que eu diga!
Patrick: Só de descer elas, vou precisar trocar meu óleo. Bip. – Zoou, enquanto descia, fazendo os dois rirem. 


Nelly: Supostamente... Era para ele ter nos recebido, não acha? – Dizia estranhando, e o olhando para os lados o procurando.
Marlon: Concordo... – A ajudou procurar.
Patrick: Bop. Será que ele não é esse homem tomando sol?! Bip. Bop. – Questionou, enquanto o olhava.
Nelly: Pode ser, vamos lá falar com ele. 


Então, eles deram mais alguns passos, até se aproximar de Mauro, e Marlon perguntou.
Marlon: Com licença, você seria o Mauro?!
Mauro: Pô, simpatia, vocês chegaram muito rápido! Tava aqui recarregando minhas baterias com essa energia solar fantástica, zero por cento de poluição – Disse abrindo os olhos. – Só me da um segundinho que vou me trocar!

Continua.

7 comentários:

  1. "peça de metal que movimenta a lingüeta das fechaduras do meu fusquinha"
    Conceito legal para chaves do arro! Para quê simplificar, né?

    Patrick: pior será quando ter de subir as escadas! Bop!

    "Tava aqui recarregando minhas baterias com essa energia solar fantástica, zero por cento de poluição!"
    E onde foi que ele descarregou as energias dele? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    A casa dos pais de Marlon tá linda! E amei as fotos no carro!

    Parabéns, Deni, pelo capítulo! Demais!!!
    E Fazinha pela fala de Mauro! Mó da hora!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é né! Mauro e seu jeitão de falar! Me acabo de rir! UAHAUAUAHAUAHAUHAUAHAAHAA

      Até Patrick que é robô sente cansaço :P

      Onde será?! UAHAUAHAUHAUAHAUA

      Obrigada!!!! Fico feliz que gostou das fotos ❤❤❤

      Muito obrigadaaaaaa! Fico muitíssimo feliz que amou o capítulo! Beijinhos, Andrea! ❤

      Excluir
    2. Obrigada, Andrea! O mérito é todo da Denise. Ela pegou tão rápido o jeitão do Mauro, que eu nem preciso mais mexer em quase nada. =D

      Excluir
  2. Ameiii a casa nova, amei que estão todos morando juntos, amei que os avós ficam cuidando muito da Mabel!!! E esse Mauro é uma figura, hein? Huhauhuahuhauhuahua...
    Muito legal o Mário ensinando o Thomas a dirigir!!! Adorei! E genteeeeeein, que babado: ele e Mari terão um baby!!! Ela é corajosa, viu! Ter um filho de Mário não é pra qualquer uma! Ele me parece meio maluquinho! Rs... E a Urano ficou lindaaaaa adolescente!!! Será que ela e Thominhas vão namorar? :) xD :D
    Já vi que essa nova temporada promete!!! Amando, Deni!!! Parabéns!!! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que amoooooou!
      Mabel é o xodó dos avós! Querem ela todinha para eles! :P
      Adoro o Maurooooooo! É um figurão que só vendo xD
      Mário ta treinando pra ser pai :P UAHAUAHAUAHAU Pra vc ver! Dos dois ainda?! Dois maluquinhos! Uahauahaua
      Será?! A amizade dos dois é lindinha! Amo eles! ❤❤❤
      Muito obrigada pelo comentário! Fico feliz que amou! :D ❤

      Excluir
  3. Aaaaai, que emoção!!! Não via a hora da estréia! Está sendo muito divertido e gratificante escrever com vc, Denise. Vc é muito talentosa! Fico honrada de ver o Mauro aqui no seu blog, na sua história. Muito obrigada pela oportunidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também estava muitoooo ansiosa com essa estréia *-*
      É uma honra escrever contigo, ainda mais ter a figura do Mauro na minha história!
      Eu que agradeço pela oportunidade de te-lo na minha simserie!
      Obrigada por tudo, Fazinha! ❤❤❤❤❤

      Excluir