domingo, 11 de junho de 2017

Casos ainda não solucionados - Tudo estranho. - T05 - 02.



Flora agora trabalhava como artista freelancer, trabalha no conforto da mansão Caixão, porém, ganha muito bem. 


Já Alexandre, seguiu os passos do pai e começou a trabalhar como cientista. Quando não estava em família e nem com Flora, estava no último andar, conversando com ele, sobre carreira, sobre como agradar a esposa entre outras coisas. 


Laura agora tocava piano, incrivelmente bem e sempre tinha seu marido a apoiando e ouvindo suas melodias. 


Mesmo tão novos, tinham planos de aumentar a família, afinal, tinham a vida financeira bem estável, carreira fixa e tudo sobre controle. É o que todo mundo deseja, não é mesmo? 



Já Cassandra e Don estavam bem com seus gêmeos. Por incrível que pareça, Don finalmente se ajeitou, percebeu que aquele sentimento no fundo do seu coração era amor por Cassandra e a mesma cultivava todos os dias esse sentimento por ele. 


Na casa de Mariana e seu irmão. 

Mário tinha ensinado Thomas dirigir até o meio do caminho, o resto do percurso Mário dirigiu, tanto por medo dos policiais pegarem um de menor dirigindo pela estrada, quanto por medo de se perderem no caminho. 


Joana vinha dos fundos, eles tinham uma estufa na qual ela cultivava e colhia frutas, legumes e verduras frescas para usarem em suas receitas.
Joana: Oi meus queridos, podem vir entrando!
Mário: Oi Joana! Boa tarde.
Thomas: Oi Jô! Tudo bem? – Disse de forma simpática.
Joana: Sim, sim, Thominhas! 


Então, os dois entraram para dentro e já se depararam com a maioria da família na sala, vendo TV.
Mário: Oi Urano! – Sorrindo. – Onde tá sua mãe?
Urano: Ela tá no quarto, Mário, acordou enjoada hoje, coitada!
Mário: Vou lá ver como ela tá.
Thomas: Oi Uno! – Disse acenando para ela.
Urano: Thominhas! Oi! Vamos por o papo em dia?!
Thomas: Claro! 


Mário subia nervoso, afinal, nunca tinha lidado com sua de suas peguetes grávidas, pelo menos, até onde ele sabia.

Mário: Oi... – Engoliu saliva. – Você tá bem, Mariana?

Mariana: Óbvio que não né! – E continuou deitada, sem se virar para vê-lo. – Hoje acordei como se um caminhão tivesse passado por cima de mim e de brinde, um enjoo muito ruim.

Mário: Vai precisar de alguma coisa hoje?
Mariana: De um balde, qualquer hora, então não sai daqui. 



Então, Mário se ajoelhou perto dela e ficou a observando, todo preocupado. Mariana achava engraçada a situação, nunca pensou que ele poderia ser tão dramático, segundo ela.
Mariana: Aí Mário, para de drama, rapaz. – Soltou uma risadinha. – Não tô morrendo, só enjoada.
Mário: Eu sei né! Mas nunca passei por isso! – Resmungou.
Mariana: Mas eu já, essa está sendo a segunda, então segura as ponta aí, parece que é você que tá grávido, eu hein. – Reclamou. 


Urano: E aí, a Josie vai bem?!
Thomas: Melhor impossível, Uno! Mas e aí, você perguntou para sua mãe sobre ela e o Mário?
Urano: Perguntei também, ela disse que namorar e casar é coisa de gente séria.
Thomas: É, meu tio disse algo parecido. Mas e aí, como tá sendo seu oitavo ano aqui em Vale Desiderata?
Urano: Estranho. Eu preferia quando eu estudava na divisa entre Riverside e Vale, o pessoal era mais legal. E como foi dirigir pela primeira vez, seu pai deixou?
Thomas: Sim! Dirigi numa pista, mas até vir aqui, o Mário dirigiu. – Resmungou.
Urano: Calma né! Meu tio me disse que tem um terreno próprio para isso, ele vai conversar com o seu pai e o Mário, depois.
Thomas: Ah, bom saber. – Falou empolgado. 


Mauro: Simpatia, não sabia que vocês viriam tão rápido assim! Caramba, nem minhas vibrações energéticas captaram essa velocidade.
Nelly: Sei lá né, Mauro. Vai que era uma emergência!
Marlon: É mesmo, nunca se sabe!
Patrick: Pegamos o ônibus mais rápido do Segundo Império, bip! 


Mauro: Fiquem a vontade, simpatias, podem beber alguma coisa, comer, mas fiquem a vontade, vou jogar uns trapos no corpitcho e já volto.
Nelly: Estaremos te esperando! Muito obrigada.
Marlon: Pode deixar, Mauro. Muito obrigado!
Patrick: Tem um óleozinho? Bip. 


Nelly: Nunca pensei que um cliente nosso seria tão de boa! – Deu uma risada, pelo jeitão de Mauro.
Marlon: Eu também, e bem diferente o bar dele!
Patrick: Depois vocês me atualizam com o linguajar dele? Bip. Bop. Achei demais, quero aprender. Bop.
Nelly e Marlon deram algumas risadinhas e Nelly disse: Claro que sim, Patri! Depois nós vamos te levar na mansão dos Caixão, para o Alex te atualizar! 


Mauro: Muita energia boa vem de vocês, buscadores pela verdade que juntam pistas e mais pistas até desmascarar alguém. O que vocês precisam para começar as buscas?
Marlon: Então, precisamos que você diga o que aconteceu, antes de você perder a chave. – Disse de forma simpática.
Nelly: É isso mesmo, e também nos dizer quem você suspeita que seja, para irmos atrás e ver se ele realmente é um suspeito.
Mauro: Então, ontem eu ouvi um trator zicado, muito louco mesmo, bicho! Tava bem escuro, então eu não sei quem era e o que foi.
Nelly: Então você acha que isso tem a ver com sumiço de sua chave?
Mauro: Acho que sim né, mas só estranhei porque ninguém tem a chave da minha casa! 


Nelly: Mauro, meu robô vai averiguar seu bar, tudo bem?
Mauro: De boassa!
Marlon: Aí, enquanto isso, te faremos algumas perguntas.
Mauro: Sóóóóó! 


Patrick então se levantou, e começou nas bancadas que tinha lá mesmo, olhando tudo e percebendo que pelo menos por lá, estava tudo em perfeita ondem.
Patrick: Organizado e sem vestígios, bop! 



Patrick: Que estátua bonita! Bip. Está bem limpinha, então, sem sinal de digitais nela! Bop. 



Ele foi para o bar, o último lugar que faltava lá fora.
Patrick: Nem um oleozinho para mim, bip! Bop. Porém, sem nada, também. Bop. 


Então, decidiu averiguar dentro da casa de Mauro, e aí percebeu o problema, que provavelmente Mauro não tinha se tocado: A fechadura estava quebrada, mas não como algo que chamasse a atenção, era como se tudo fosse minuciosamente planejado, para ninguém perceber.
Patrick: Fechadura minimamente quebrada, detectada. Bop. Hmmm... Vamos continuar. 



Patrick: Bom, parece que temos um erro aqui, alguém mexeu nas coisas de Mauro. Bip. Bop. Meu escaneamento nunca erra.



Nelly: Alguém mais trabalha com você, ou você trabalha sozinho?
Mauro: Trabalham comigo: Nina, Juca e Marvin. Simpatia! Mas cada um foi bem de boa fazer algo para mim!
Marlon: E você sabe onde eles foram, Mauro?
Mauro: Então, Nina me deixou uma carta falando que foi pegar umas frutas para mim, direto do pé, bicho! Essa sabe o que é qualidade.
Nelly: E os outros dois?
Mauro: O Juca foi fazer o que é obrigação de todo o ser humano que adquire um cantinho para se alojar, mas o Marvin, nem sei!
Marlon: Pagar as contas..? – Perguntou confuso.
Mauro: Sim, simpatia!




Nelly: Podemos ver a carta dela e se possível, pode pegar alguma outra, para compararmos?
Mauro: Fechou, fechou, simpatia! Deixei a outra em cima da mesa, mas vou agora mesmo buscar outras que ela escreveu! 



Então o trio foi na outra mesa e esperaram Mauro trazer mais duas outras cartas, e então, perguntaram sobre elas, antes de Patrick fazer a leitura das escritas.
Marlon: Ela sempre deixa cartas do que irá fazer?
Mauro: Sim! Ela chega antes e saí antes, também!
Nelly: Então ela sempre repõe as coisas do bar?
Mauro: Sempre, sempre! 



Patrick, minuciosamente, fez a digitalização de cada carta no seu HD e as comparou.
Marlon: E aí Patri, o que descobriu? 




Patrick: Essa última carta não foi ela que escreveu, bip. Bop. E sim, alguém com a letra muito parecida escreveu para ela!
Mauro: Ih rapaz, que bagulho muito doido! Qual a próxima etapa agora?
Nelly: Bom, você não poderia ter esquecido a chave dentro do carro?
Mauro: É bom irmos checar, simpatia. 



Agora, os quatro iam para onde o fusca estava estacionado, fizeram de tudo tentando abri-lo, porém, nada adiantou. Não tinha nenhum sinal de chave, e Patrick também tentou ver se tinha digitais pelo fusca, e nada. Quem fez isso, fez muito bem armado.

CONTINUA.

10 comentários:

  1. E eu pensando que a casa nem tinha sido trancada! Como o cara me eixa a fechadura quebrar e nem conserta? Só o Mauro mesmo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mauro é bem de boa com a vida que nem notou isso! Hauahauahauaha

      Excluir
  2. Como ninguem nota a fechadura detonada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tava tão destruída xD aí o Mauro nem percebeu.

      Excluir
  3. Mauro não percebeu a fechadura! Huhauhuahuhauhua... O cara é muito de boas! xD Mas quem fez todo o trabalho mesmo nesse capítulo foi o Patrick! :) Achei engraçado ele reclamando que não tinha óleo no bar! Rs... E ainda estou na torcida para que Urano e Thominhas se apaixonem um pelo outro! Geeeeente, e ri do maluquinho ali cuidando da Mariana, todo preocupado! Será que ela fisgou beeeeeem o coração safado dele? xD :D Parabéns por mais um capítulo, Deni!!! Beijocas!!! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mauro é o sim mais de boa que existe! Uahauahuahau
      Exato! Nesse capítulo foi a hora de buscar as informações de um jeito que só ele sabe: Escaneando! :D UAHAUAHAUAHU ❤
      Será?! Vamos ver o que aguarda para esses dois lindinhos ❤❤❤❤❤
      Difícil Mário se apaixonar! Mas pelo menos ele tá cuidando do filho! :) ❤
      Obrigadaaaaaaaaaaa Sally! Fico feliz que amou! Beijocas! Obrigado por ter lido! <3

      Excluir
  4. Muito gostoso ver a vida dos personagens que tanto amamos nas temporadas anteriores. Os Caixão sempre são os meus preferidos!
    Fico com medo de falar demais e dar spoiler... huahaiahauahaiah =X

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AMOOOOOO por eles na história!
      E é verdade, tem cada Spoiler pesado :X

      Excluir
  5. Oioioi eu to tentando acompanhar isso vsusbsusbdusvdusbjsba 💙

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AAAAAAAAAA, QUE LEGAL, VC ACOMPANHA ❤❤❤❤❤

      Excluir