quinta-feira, 9 de março de 2017

Casos ainda não solucionados - Casa das árvores caídas. - T04 - 02

 Um pouco depois de Marlon e Patrick terem saído, Marlene e Thomas foram buscar Nelly e Mabel Josephine.
Marlene: Ela é tão linda! - Dizia encantada com a neta.
Thomas: Ela é muito fofinha! - Seu tom de voz era alegre.
Nelly estava em uma cadeira de rodas temporária, afinal, ela tinha feito bastante esforço nos 9 meses de gestação, a deixando mais cansada e um pouco fraca para andar muito. Porém o médico tinha dado alta à ela, só que o uso da cadeira de rodas deveria ser bem frequente, até que ela sentisse firmeza nas pernas, de novo.

 Marlene colocou sua cadeira de rodas na sala, e a deixou conversando com Thomas.
Thomas: Mas até quando você vai ficar nessa cadeira de rodas, mamãe?! Quero muito correr com você e a Josephine, logo! - Dizia já pensando nas brincadeiras dos três.
Nelly: Vou sarar rápido, meu amor, ficarei fortinha que nem você! Logo estaremos todos brincando juntos!
Thomas: Vai ser muito legal!
Nelly: E como foi essas semanas aqui em casa com a vovó? - Perguntava curiosa.
Thomas: Foi super legal! A vovó faz uma sopa que só comendo, para você ver!
Nelly: Hmm.. Não vejo a hora de experimentar!
E assim a conversa seguia.

 Marlene: Coisinha linda da vó! Durma bem, viu! - Dizia à colocando no berço.

 Após Marlene ter posto Mabel J. dormir, foi conversar na sala com sua nora e seu neto.

 Enquanto isso, na mansão de Marly. 
Marlon: Então, quais estranhezas são frequentes em sua casa, senhorita Cosmos? - Tentava seguir um "roteiro", de como Nelly faria, afinal, se sentia perdido, sem ela.
Marly: Pois bem, Eu rodo essa mansão todinha e mesmo assim, eu não acho nada, mas sinto como se outra pessoa morasse aqui! Até mesmo um espírito!
Patrick: Aí é caso para os Ghostbusters né senhorita! Bip. Somos apenas detetives, bop.

Marly: Não exatamente, mas é muito barulho só para ser uma impressão minha! Por isso chamei vocês.
Marlon: Você tem muitos móveis? Se tiver, pode ser algum rato ou até insetos. - Tentava ser lógico.
Marly: Não! Eu vim aqui com pouco. A casa estava em leilão por 100 simoleons, eu achei estranho, mas comprei mesmo assim.
Patrick: Desconfie de leilões, bop.
Marlon: Você sabe alguma coisa sobre o antigo dono da casa? - Questionou.
Marly: Nada, nada.

 Marlon: Então meu robô terá que averiguar para descobrir.
Marly: Por mim, tudo bem. Faz apenas 2 meses que moro aqui!
Patrick: Vamos a busca! Bop.
Marlon: Mas continue me contando das coisas que ocorreram com você, aqui.

 Patrick: Como um seguidor não-nato de Marlon Figueira, hmmm... Bip. Vou ver se naquela estante tem passagem secreta. Bop. Me intrigou a busca dele na casa da Espectro. Bop.

 Marly: Eu escuto sons de frascos de vidro, sons de água caindo, e nem é da cozinha ou do banheiro utilizável da casa! Acho estranho.
Marlon: É bem intrigante, Cosmos. Mas você já foi procurar o que pode ser?
Marly: Nunca, tenho medo.
Marlon: Entendi, por isso vamos fazer nossa parte.
Marly: Agradeço muito, já estou ficando perturbada.

 Tereza: Merda! Barulho de passos! Minha hora de vazar daqui!

 Então ela usava um teleporte de origem alienígena encontrando em um terreno vazio, alguns anos atrás.

 Tereza: Quero ver me acharem aqui!

 Patrick fuçava nos livros, até encontrar um "puxável" para entrar em um possível local secreto.

 Patrick: QUANTOS LIVROS VELHOS! E FEDIDOS! E OLHA QUE NEM TENHO NARINAS! - E dizia baixo - Acho que estou desenvolvendo uma! Bop. - Estranho essas coisas aqui... Bip.

Tereza: Finalmente! Minha criação capilar funcionou! - Comemorava. - Agora tenho minhas lindas madeixas de volta! Posso fugir daqui sem ser reconhecida!


 Marly: Será que seu robôzinho descobriu algo importante? - Perguntou, um pouco inquieta.
Marlon: Provavelmente sim, ele sabe o que faz.
Marly: Ah, bom saber... - E suspirava. - Eu quero saber o que tem neste local!

 Patrick: Meu Deus! Estou preso aqui! Bop! - E raciocinava por alguns segundos.

 Patrick: Robô burro! Bop. É só sair por onde entrei! Bip.  - E puxava novamente o livro.

Patrick descia as escadas correndo, para dar a notícia do grande achado para Marlon. 

 Patrick: Marlon! Marlon! - Chegava interrompendo a conversa de ambos.

 Patrick: Marlon! Tem uma passagem secreta na mansão! - Dizia de forma eufórica com sua voz agradavelmente robótica.
Marlon ficava surpreso, com a descoberta e questionava Marly.

 Marlon: Você sabia dessa passagem, Marly?

 Marly: Passagem? - Dizia confusa. - Eu não sei de nenhuma.
Marlon: Ok. Patri, nos leve até a passagem, para ver se ela reconhece.
Patrick: Certo! Bop.

 Patrick levava-os até a passagem, que era de cara com duas escadas.
Patrick: Aqui, chefe. Bop.
Marlon: Reconhece, Marly?
Marly: Eu? Não. Para mim isso é uma estante desinteressante com livros velhos. - Disse de forma normal, como se realmente não soubesse nada.
Marlon: Patrick, abra para nós, por favor.

 Patrick abria a passagem secreta.

 E os três entravam lá, assustados.
Marly: Meu Deus! Quanta coisa antiquada! Isso porque ainda pedi para reformarem tudo!! - Dizia assustada.
Marlon, também se assustava um pouco, porém era mais com o cheiro de coisas mágicas, do local.

 Patrick e Marlon faziam uma averiguação rápida do quarto e pegavam as pistas principais, Patrick fazia uma memória fotográfica enquanto Marlon fuçava nos livros, em baixo do tapete e atrás dos quadros. Marlon estava apressando um pouco o trabalho pois não via a hora de chegar em casa e ver sua noiva, mas ele sabia que no dia de amanhã ele estaria mais focado. 

 De noite. 
Marlon: Eu tava com tanta saudade de você, Nelly. - Dizia a carregando para cama.
Nelly: Eu também estava, meu amor. Não precisava me carregar, Marlon, você tá cansado. - Dizia preocupada.
Marlon: Amor, minha preocupação é você, e eu te carrego onde for, não estou cansado.
Nelly: Bobo. - Dizia dando um sorrisinho.

 Então ela o abraçava apertado, e os dois iam dormir juntinhos.

 E Thomas também dormia, pensando nas futuras brincadeiras com sua irmãzinha.

 E Marlene pensando no quanto não iria soltar aquela menininha no dia seguinte.

 E Patrick fazia um backup em sua memória.



8 comentários:

  1. Patrick: QUANTOS LIVROS VELHOS! E FEDIDOS! E OLHA QUE NEM TENHO NARINAS! - E dizia baixo - Acho que estou desenvolvendo uma! Bop. - Estranho essas coisas aqui... Bip.

    Ri muito com essa!

    ResponderExcluir
  2. Patrick definitivamente roubou a cena neste capítulo! Ri muito!!!
    Who you gonna call? Ghostbusters!!! HUAHAIAHAIAHAUH
    Puxa, essa Tereza aí fugiu da escola de macumba... Mas conseguiu a cabeleira. rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Patrick teve sua hora de brilhar!!! UAHAUAHAUHAUAHAUA
      Melhor referência :D
      UAHAUAHAUHAUAHAUA Tereza é cigana mas podemos perceber que ela se embanana toda, nas ciganisses xD

      Excluir
  3. Patrick arrasou nesse capítulo!!! :D E Tereza conseguiu seu cabelo! E Marly, será que agora ficará de boa em sua casa? Espero que sim! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Patrick brilhou! UAHAUAHUAHAUA e será? Muitos mistérios envolvem essa mansão :P

      Excluir
  4. Sem Nelly Patrick se virou muito bem.

    ResponderExcluir

Seu comentário ajuda muito com a continuação da história!! Não deixe de comentar :)